Dois polos


Sinto teu olhar percorrer minha pele...
Ele me analisa sem discrição,
Sabendo que cada célula de meu corpo clama por ele.


Se aproxima, espreitando discretamente,
E, como um bom caçador,
Salta sobre mim, de repente!


Seu peso todo em minha alma,
Enquanto teus lábios roçam os meus,
Com calma...


Desce por cada terminação nervosa.
Enquanto tua língua me experimenta,
De maneira tortuosa.


Me toca de tal maneira...
Sem dizer uma palavra,
Me tortura por uma noite inteira...


Suas mãos demonstrando destreza.
Conhecedoras de meu corpo,
Dançam com convicção e certeza.


E quando as minhas buscam os lençóis,
Ele penetra em meus olhos...
Fazendo com que o mundo se cale, nos deixando a sós...


Ele tem novamente minha rendição,
Com tua língua que acompanha
Cada batida de meu coração...


Me preenche, invade meus sonhos,
E nessa conexão,
Nos rendemos, juntos.


Nesse ápice eu o sinto, por inteiro,
Desfruto de cada gota de teu ser,
Sem medo de que seja passageiro...


Calado, ele repousa em meu peito...
Enquanto acaricio os cachos
Deste Adonis com quem me deito.


-Você está quente - sussurra em meu ouvido.
Ao que não posso responder,
Me perguntando o que é que ele fez comigo...


Me vejo enroscada em teu abraço,
Com ele quase dormindo...
Me dando a certeza de que o tenho em meus braços...

Nenhum comentário