Carnaval


Sigo beijando outras bocas,
mas querendo a sua
despindo outras vestes,
mas te querendo nua.
Morena,
és o fruto do pecado,
o carnaval sem ti
é errado
e incabível
para este poeta
apaixonado.

Nenhum comentário